terça-feira, 30 de agosto de 2016

Ela

Soneto de quatro:

Eu a procuro sem vaidade,
Numa única verdade ou
Num pedacinho de sonho.

Eu procuro descobri-la,
Num beijo estranho ou
Numa pequena frase.

Eu quero senti-la,
Num abraço apertado ou
Num olhar desatento.

Necessito senti-la,
No calor dourado do sol ou
No prateado véu lunar.


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.


terça-feira, 23 de agosto de 2016

Meu eu

Minha razão indaga: quando?
Minha subjetividade exclama: espera!
Minha alma implora: venha.
Minha ansiedade observa: quem?!

O meu eu pede: eu quero.
O meu desejo deseja: calma.
O meu ser procura: você.
O meu mundo é: nós dois.


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.


terça-feira, 16 de agosto de 2016

Trocadilho

Não se aflige coração.
Pois essa dor que te incomoda,
É a companheira solidão.

Não se acomode solidão.
Pois o lugar que tu procura,
É onde mora a ilusão.

Não se alegre ilusão.
Pois o crime que me acusa,
É de viver essa paixão.

Não se acostume paixão.
Pois o lugar que tu ocupa,
É o meu pobre coração.

Não se desespere coração.
Pois o amor que tu espera,
Logo segurará a sua mão.


Autor: Joabe Tavares Souza - Joabe o Poeta.


terça-feira, 9 de agosto de 2016

A gaiola

A loucura é uma gaiola,
A liberdade é uma gaiola.
A verdade é uma gaiola,
A vontade é uma gaiola.
A vaidade é uma gaiola,
A natureza é uma gaiola.

O amor é uma gaiola,
O medo é uma gaiola.
O desejo é uma gaiola,
O prazer é uma gaiola.
O querer é uma gaiola,
O egoísmo é uma gaiola.

A loucura é uma liberdade,
Que te trancará numa gaiola.
A verdade é uma vontade,
Que te levará a uma gaiola.
A vaidade é sim natural,
Que produzirá uma gaiola.

O amor é um medo,
Que será uma gaiola.
O desejo é um prazer,
Que virará numa gaiola.
O querer é um egoísmo,
Que acabará numa gaiola.


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

O pássaro da minha alma

O pássaro da minha alma,
É livre como o vento.
Nos momentos em versos,
Nos pensamentos em canto.

Pássaro que voa e revoa,
Sobre meus sentimentos.
Liberta o meu sorriso,
Na fonte do meu desejo.

Pássaro que pousa,
Entre as flores.
Nas perfumadas pétalas,
Das minhas paixões.

O pássaro da minha alma,
Busca um ninho sem dor.
Colorido com folhas de alegria,
Num louco e forte amor.


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.

*Elisa Flor

UAUUUU!!! QUE COISA LINDA FOI ESTE SARAU GENTE...ESTOU SEM PALAVRAS. QUANTAS INSPIRAÇÕES NUM TEMA TÃO SIMPLES!___ BELÍSSIMOS POEMAS. ESTOU MUITO FELIZ PELA INTERATIVIDADE QUE HOUVE ENTRE OS POETAS! PARABÉNS À TODOS!!! (...)
Bem, ficou muito clara a votação, primeiro, segundo e terceiro lugares. O primeiro lugar vai para o poeta Joabe Tavares de Souza, com o poema " O pássaro da minha alma", o segundo lugar para a poetisa Lace Luiza, com o poema " Pássaros marfins", e o terceiro lugar para a poetisa " Versos Rimas da Alma, com o poema " A menina que roubava sonhos"... parabéns poeta e poetisas!!! VII Sarau do grupo " Poetas dos Quatro Cantos da Terra" https://www.facebook.com/events/1663711627285485/permalink/1665685613754753/?notif_t=event_comment_follow&notif_id=1470023300038408


terça-feira, 26 de julho de 2016

Meu soneto

Aaaah este meu jeito bom de ser,
Este coração bobo meu.
Aaaah esta loucura por amar,
Essa sangria pelo teu.

Aaaah este palhaço esquecido,
Este sorriso que entristeceu.
Aaaah este poeta desesperado,
Este amor que adormeceu.

Aaaah este louco amalucado,
Neste jeito abilolado de querer.
Aaaah este amante apaixonado,
Nesta ânsia de um dia te pertencer.

Aaaah este medo de te dizer,
Que eu não suporto este desprezo seu.
Aaaah esta poesia a gritar,
Que exprimi todos os desejos meus


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.


terça-feira, 19 de julho de 2016

Tenha coragem

Tenha coragem de dizer que ama,
Não se escoda atrás da insegurança.
Lute pelo que você quer e sente,
Não use como desculpa o medo.

Tenha coragem de olhar nos olhos,
E deixar o momento conduzir seus atos.
Abrace mesmo que haja recusa,
Não se entregue a sentir culpa.

Tenha coragem com as palavras,
Deixe que nelas seus sentimentos fluam.
Se liberte nos seus impensados atos,
Não os entreguem aos cansaços.

Tenha coragem deixe o coração falar,
Não o prenda no seu silencio.
Se desgarre da timidez,
E se entregue ao amor.

Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.


segunda-feira, 11 de julho de 2016

Mensageiro noturno

Sereno brisa fria do entardecer,
Leve noticias minhas a quem amo.
Antes que eu venha a enlouquecer,
Diga a ela que estou de amor sofrendo.

Sereno vento umedecido,
Sopre ao ouvido daquela.
Diga que esta queimando,
Essa louca paixão por ela.

Sereno da madrugada,
Traga-me aquele beijo.
Nesta noite enluarada,
Quero queimar de desejo.

Sereno mensageiro noturno,
Apague logo as lágrimas.
Deste poeta moribundo,
Que vive de camas em camas.

Sereno não deixa que nela se apaguem,
As minhas doces e loucas lembranças.
Pois juro serei dela e de mais ninguém,
Ver se de mim por favor se compadeça.


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.


terça-feira, 5 de julho de 2016

Olha a chuva

Olha a chuva,
Chuva para um vinho.
Chuva de carinho,
Olha a chuva.

Sinta a chuva cair,
Chuva de prata.
Chuva de lágrima,
Sinta a chuva cair.

Cheire a chuva,
Chuva perfume da terra.
Chuva fragrância de vida,
Cheire a chuva.

Deixe a chuva escorrer,
Chuva que lava a alma.
Chuva que trás calma,
Deixe a chuva escorrer.


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.


terça-feira, 28 de junho de 2016

O vento dos meus sonhos

Ainda que as velas dos meus anos se apaguem,
Com o soprar dos meus desalentos.
Agarrarei com toda essa destemida coragem,
No vento de todos os meus sonhos.

Ainda que a vida me surre sem escrúpulo,
Arrebatando-me as esperanças,
Buscarei refugio no vento dos meus sonhos,
Para que a loucura não me alcança.

Ainda que os meus desejos se petrifiquem,
Na ausência do sincero amor.
Farei em mim mesmo o meu colorido arem,
Para este vento me levar onde for.

Ainda que os meus versos se apaguem,
Nas linhas do majestoso tempo.
Ficaram os meus vestígios na folhagem,
Balançada pelo vento destes sonhos.


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.


terça-feira, 21 de junho de 2016

Quando tu chegares

Quando tu chegares,
Não me venha como sustos.
Abrace-me forte,
E absorva o que eu sinto.

Quando tu chegares,
De mim não se esconda.
Olhe-me incessante,
Num olhar que me prenda.

Quando tu chegares,
Ama-me apenas.
Sinta em sabores,
Os beijos que a chama.

Quando tu chegares,
Não, não se esquiva.
Apenas se entregue,
E não se arrependa.


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.


terça-feira, 14 de junho de 2016

Ontem eu fui, hoje eu sou.

Ontem, eu fui o que a vida me permitiu ser.
Fui, o que eu pude no tempo e no lugar que foi meu.
Fiz, o que as circunstancias me ampararam fazer.
Ontem, não me esquivei de nenhum sonho meu.

Hoje, eu sou o que quer o meu coração.
Sou, o que a minha existência me cobra.
Sou, o amante de um amor em solidão.
Hoje, eu deixo que a asa da alma se abra.

Ontem, foi tão pequeno para o meu tudo.
Quis tanto, mas fiz o que me coube.
Quis talvez, muitos mais das horas e segundos.
Ontem, o nada sobre mim soube.

Hoje, termina me guiando com leveza.
Sou, o que o meu pensamento resenha.
Sou, sem medo do que eu ainda seja.
Hoje, se finda como o meu eu desenha.


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.


terça-feira, 7 de junho de 2016

Quando se for

Quando se for,
Não se esqueça.
Apenas me deixe,
Que eu fico.

Quando ligar,
Não fale.
Apenas me esqueça,
Que eu sinto.

Quando me ver,
Não me toque.
Apenas ignore,
Deixe que eu chore.

Quando lembrar,
Não me procure.
Apenas se esconda,
Que eu sigo enfrente.


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.

terça-feira, 31 de maio de 2016

Mais ou Menos

Mais um troféu para o capitalismo,
Mais aquecimento para o planeta.
Mais produção de gás carbono,
Mais alguns centímetros no buraco negro.

Menos produção de oxigênio,
Menos ar limpo para respirar.
Menos abrigos para os animais,
Menos verde no planeta terra.

Mais grito de socorro,
Mais leitos de hospitais ocupados.
Mais catástrofes no globo anunciada,
Mais riquezas para os barões.

Menos felicidade no mundo,
Menos variações de espécies.
Menos paz entre os homens,
Menos amor a vida.


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Saia sem rumo

Viva sem medo,
E seja feliz sem vergonha.
Aprenda a valorizar o que é seu,
E não deixe nada escondido.

Saia sem rumo,
Não se importe com os passos.
Seja forte no cair,
E levante com suavidade.

Se entregue aos momentos,
Pois eles são calculados pelo tempo.
Quando o nada dá sinal de vida,
É por que a sua ausência é capitada.

E tudo que era para ser,
Simplesmente não acontece.
Fica o questionar das coisas,
Num universo de arrependimento.


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.

terça-feira, 17 de maio de 2016

A que preço

Querem me enganar,
Manipular minha mente.
Obstruir meu pensar,
Como criança inocente.

Querem o meu sangue,
Para seus bels prazeres.
Fazendo em mim saque,
Dos meus deveres.

Querem egoísta me roubar,
A começar pela mentalidade.
Quem foi capaz de ensinar,
Essa tal insana maldade?

Querem de volta o caos.
Fome, dor e miséria.
Deixando-me faltar o pão,
Para a sua luxuria.

Querem me ter como escravo,
Para bancarem suas loucuras,
E sabem bem a que preço,
E por isso pagarei muito caro.


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.



terça-feira, 10 de maio de 2016

Essa Raiva

Essa raiva que eu sinto,
Não deixa nada em mim quieto.
Ela me cala aos poucos,
Estafa meus sentimentos.

Essa raiva que me incomoda,
É fruto da minha racionalidade.
Faz louco o meu pensar,
Afasta o tentar para longe.

Essa raiva do seu egoísmo,
Da minha insistência em amá-la.
Faz de mim tão pequeno,
Na sua insolente ausência.

Essa raiva ainda me prende,
Sufoca os meus desejos.
Ela simplesmente me esconde,
Atrás de alguns momentos.


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.


terça-feira, 3 de maio de 2016

O que seria pior

Eu não sei o que é pior:
A vontade de te amar
Ou a loucura que você me faz?

Mas eu assumo, sou doido por ti.
Se for para fica longe de você,
Prefiro cerrar os meus olhos para sempre.

Por que assim me isento dessa dor.
Que me tira o sossego,
E atormenta o meu pobre coração.

Por que assim não me verá sofrer,
Será feliz com o seu novo amor.
E eu ficarei no seu passado como lembrança.


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.


terça-feira, 26 de abril de 2016

Ande comigo

Ande comigo de mãos dadas,
Sinta o calor dos meus sonhos.
Explore como lhe convier,
A ternura do meu prazer.

Abrace-me sem qualquer pudor,
Caminhando pelos meus desejos.
Amarra-me com o calor dos seus beijos,
Sinta-se viva na loucura deste amor.

Alimente-me com a sua boca,
Nesta ansiedade de te amar.
Refaça-se na minha carência,
Permitindo-me te tocar.

Não se sucumbe ao medo,
Liberte-se nas nossas vontades.
Dome-me nos seus braços,
Aprisiona-me nas suas vaidades.

Não me esqueça no tempo,
Tenha-me nas suas insanidades.
Sudifique-me no seu mundo,
Faça-me essas suas beldades.


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.


quinta-feira, 21 de abril de 2016

O tempo de um amor

Fui no seu tempo,
O que me permitiu ser.
Queria ir mais além,
Talvez tudo aconteceria leve.

Seria eu o mais fiel dos amantes,
Com todas as certezas que coube.
Mas o seu entorno talvez foi mais forte,
Que o tempo que me consumiu em você.

Assim ficamos refém de nós mesmos,
Eu no meu medo de extrapolar e te perder.
E você não deu a esse amor,
O devido designo no seu tempo.

Mas o tempo de um amor verdadeiro,
Jamais passa quando ele não atinge seu clímax.
O tempo o camufla para mantê-lo vivo,
 Para que o dia deste amor no tempo ser torne.


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.