segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Calo-me


Calo por te amar,
E não sentir em mim,
A doçura do seu perfume.

A alma chora ao te ver,
Ao saber que o seu coração,
Insensivelmente me ignora.

Tudo por te dar parte de mim,
Destinar a você o meu melhor,
A porção do meu louco desejo.

Instantaneamente me entrego,
A essa loucura de sonho,
A esse desejo que me consome.

Aqui no meu silencio,
Eu vivo sozinho,
Mas vivo te amando.

Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.