segunda-feira, 26 de novembro de 2012

À noite



Sentindo solidão,
Sai a sua busca.
A noite está linda,
As estrelas me observam.

Vejo a lua tristonha a chorar,
E sinto o sabor das minhas lágrimas.
E o meu corpo te procura,
Mas a minha angustia me atormenta.

Eu sabendo que sua boca,
Já não sente minha falta.
A lua perece me entender,
Quando ela grita a sua dor.

Como eu te amo,
Eu te quero tanto.
É você não ver,
Que estou sofrendo.

E assim à noite,
Vem me abraçando.
O silencio da madrugada,
Vem me machucando.

Sinto no ar o seu perfume,
Sua ausência me fere.
Mas que cala consente,
Pois a minha alma te sente.

Retorno ao meu leito,
E a sua presença nele ainda é viva.
Vejo-te no porta-retrato,
Eu adormeço sentado na poltrona.

Lá fora, a noite vai adormecendo,
E aqui dentro eu vou te amando.
Logo vou ao cotidiano me entregando,
E assim pela noite vou esperando.

Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.