terça-feira, 24 de junho de 2014

Sou morcego



Sou um morcego sim,
Vivo pela calada da minha alma.
Não me alimento de sangue,
Mas me sugo no meu silencio.

Não tenho asas tenebrosas,
Mas voo na minha existência.
A minha caverna é o meu eu,
Pois nele nada me prende.

Eu sou um morcego,
Que deseja os beijos.
Daquela que é minha,
Mulher e amada.

Vivo nos seus sonhos,
Vigiando as suas noites.
Durmo nos braços da lua,
A espera de você prometida.

Autor: Joabe Tavares de Sousa – Joabe o Poeta.