terça-feira, 14 de junho de 2016

Ontem eu fui, hoje eu sou.

Ontem, eu fui o que a vida me permitiu ser.
Fui, o que eu pude no tempo e no lugar que foi meu.
Fiz, o que as circunstancias me ampararam fazer.
Ontem, não me esquivei de nenhum sonho meu.

Hoje, eu sou o que quer o meu coração.
Sou, o que a minha existência me cobra.
Sou, o amante de um amor em solidão.
Hoje, eu deixo que a asa da alma se abra.

Ontem, foi tão pequeno para o meu tudo.
Quis tanto, mas fiz o que me coube.
Quis talvez, muitos mais das horas e segundos.
Ontem, o nada sobre mim soube.

Hoje, termina me guiando com leveza.
Sou, o que o meu pensamento resenha.
Sou, sem medo do que eu ainda seja.
Hoje, se finda como o meu eu desenha.


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.