segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Grito tremulo

Garimpo na minha alma,
Um tesouro que ninguém ver.
São sentimentos sinceros,
Que resplandece em meu olhar.

Guardo em meu sorrir,
A verdade que não quer calar.
Mesmo que um dia eu me vá,
Nunca deixarei de te amar.

Guardo comigo o que foi belo,
Para sempre eu de ti recordar.
Grito ao vento essa minha dor,
Na esperança de alguém escutar.

Grito assim com a voz tremula,
Eu preciso te sentir e tocar.
Quero que isso logo aconteça,
Antes que o dia venha me acordar.

Mesmo que isso assim não seja,
Serei eu o mais feliz então.
Ainda que ao meu lado não esteja,
Mas a guardarei no coração.


Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.