segunda-feira, 15 de maio de 2017

Amei

Quando questionar-me se amei-te?
Silencio-me. Pois meus olhos respondem-te.
Amei, amei com um amor louco.
Mas não foi o insuficiente para o seu ego.

Quando pedires provas que eu a amei?
Novamente vou calar-me.
Pois verá visivelmente em meu corpo,
As provas que me cobra.

Quando implorar-me que diga se eu louco amei-te?
Simplesmente fecharei meus olhas,
Para que as lágrimas que ardem em minha face te digam.
E uma vez mais sofrerei por este amor.

Mas quando silenciar-se comtemplando minha dor?
Sentirá a minha angustia causada pela sua ausência,
E começará a ver com clareza sua falta neste amor.
E então se cobrira como o manto das respostas e saberá.

Amei...


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.