segunda-feira, 10 de julho de 2017

Um poeta chamado Bilac

Um poeta chamado Bilac

Os seus versos parnasianos,
De sentidos e rimas perfeitas.
Trouxeram alivio intenso,
As minhas tristezas e angustias.

Num momento de duras duvidas,
Quando eu alto questionava-me.
Bilac em palavras me respondia,
Nas entrelinhas das suas poesias.

Reorganizavas minhas ideias,
Acalmando meus pensamentos.
Eu um lobo rebelde na alcateia,
Escondendo meus lamentos.

No exemplo dos seus lirismos,
Dei vida aos meus amores.
Aprendi nos sentimentalismos,
A expor as duras dores.

Mas também um nacionalista,
Que defendia a nossa bandeira.
De forma bem tradicionalista,
Nas suas ideias voraz e ordeira.

Com ele me tornei um romântico,
Nos meus versos melancólicos.
As vezes sou quase simétrico,
Nos meus amores platônicos.

Deste amigo que não conheço,
Somente os seus versos e rimas.
Que sem nenhum apeteço
Já cumpriu sua longa sina.

Agora fico no meu simbolismo,
Construindo minhas poesias.
Apesar de todo este realismo,
Deste meu amigo Bilac fantasia.

Assim dou sentido a vida,
Escrevendo sempre poesia.
Assistindo a desiludida,
Nesta grande romaria.


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.