segunda-feira, 18 de novembro de 2013

As minhas poesias



As minhas poesias simples são,
Mundo no qual eu me sinto.
É neste mundo que tem nelas,
Que como sou me revelo.

Sem as etiquetas da pressão,
Sem os olhares dos perfeitos.
Sem a turbulência do medo,
Sem guardar nenhum segredo.

Aliás, a perfeição é irônica,
Nas suas mais variadas facetas.
Há momentos que ela nos cobra,
E em outros ela nos dá respostas.

Ela responde que jamais existirá,
Uma única forma de ver as coisas.
Menos ainda um enquadramento perfeito,
Pois não saímos de um mesmo ventre.

Neste sentido ainda que não pareça,
Que cada um de nós é único.
Temos defeitos que se assemelham,
E qualidades que se cruzam.

Não me sinto assim nas minhas poesias,
Perfeitos demais ou imaturo de menos.
Não sou louco de me propagar assim nelas,
Como absoluto ou isento no meu ser.

Procuro apenas me colocar nelas,
Na minha forma de sentir.
Dando sentido a minha existência,
Na sensatez do meu viver.

No meu insistente desejo de amar,
Na minha loucura ao me apaixonar.
No meu doido jeito de entregar,
Na minha maluca forma de sonhar.

Assim as minhas poesias,
Expressa o meu jeito de sorrir.
Representa a minha alma,
Nesta minha forma de existir.

Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.