sexta-feira, 15 de maio de 2015

A vida rosa



O que se ver nelas?
Pétalas em sedas?
O que elas exalam?
Agradáveis perfumes?

O que as tornam atraentes?
As suas variações de cores?
O que as fazem murcharem?
A inconstância do tira-las?

Não!
Elas são divina expressão do amor,
Amor de alguém por nós.
Alguém, que nos conhece como um,
Pai.

Este amor é observado em tudo:
Na agua que nos hidrata e energiza nossas células.
No ar e alimentos que nos mantêm assim vivos,
No calor do sol e na luz da lua e das estrelas.

E este amor que estamos perdendo,
Na degradação da nossa existência.
Numa crise existencial bestial,
Causado pelo egoísmo implantado pelo eu.

Veja!
As rosas seguem sua existência,
Sem nenhum murmúrio.
Elas estão belas e perfumadas,
Enquanto tiver tempo.

Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.