terça-feira, 25 de outubro de 2016

Lembranças

A cada lembrança que me molha,
Na lucidez de cada hora.
Trás saudade de outrora,
Na limpidez de todas as lágrimas.

Nesta dor que nunca passa,
Nada faz cessar.
Deixam marcas,
Aqui no tumultuoso pensar.

Onde as raivas logo se misturam,
As essas lágrimas.
E aqui não cessa,
Essa angustia que se transfigura.

Fortifica-se e queima a saudade,
Neste frio silencio.
Mas o acalento,
Com os segundos de serenidade.


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe poeta.