segunda-feira, 20 de março de 2017

Anel no bolso

Guardei um anel no bolso,
Aquele que te prometi.
Quando de longe vi,
Você saboreando outra boca.

Aquele anel que marcaria,
O dia do nosso amor.
Perdeu o sentido quando a vi,
Nos braços de outro.

Guardei no bolso um anel,
Que amarraria nos sonhos.
Quando meu coração se dilacerou,
Por me causar tamanha dor.

Aquele anel que um dia,
Foi o nosso mais doce plano.
Ao perceber que me jogasse ao engano,
Te vendo feliz com o perfume de outro.

Guardei o maldito anel no bolso,
Senti seu peso ferir o meu orgulho.
Ao ver o seu olhar de encanto no dele,
Destruindo aqui dentro o meu mundo.

Aquele anel uma prova seria,
Do meu verdadeiro amor por ti.
Agora dilui-se infinitamente,
Em magoa por tão louco ama-la.

Este anel maldito,
Agora me perturba.
Vive ali exposto,
Ao lado da sua fotografia.


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.