sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Eu juro

Eu juro que cada gota de suor,
Que os meus poros transpiram,
Nos meus deliro noturnos,
Será a expressão maior,
Desse meu suado corpo,
Dizendo que está precisando,
Mais do que nunca do teu calor.

Eu também juro diante das estrelas,
Que com seus focos de luminosidade,
Os quais me banham corpo inteiro,
Como se fora suas delicadas mãos,
A viajar pelo louco e alucinado mundo,
Das mais puras e gostosas caricias,
Deslizando lentamente em minha pele,
Como se tecestes os brancos fios de algodão,
Desse nosso vermelho flagrante lençol,
Me levando ao mais colorido delírio,
Nas loucuras do mundo dos prazeres.

E eu ainda quero ir muito, muito mais além,
Veja esses lírios que com seu branco perfume,
Transparecem o doce sabor da louca saudade,
Assim como minha boca saboreia também,
O colorido paladar que os teus beijos têm,
Como se fosse uma mistura de morango com chocolate,
Como se os meus desejos se perdessem diante ás suas variações,
E esses meus juramentos não passasse de mais um deles,
E eu uso o meu verso para simplesmente dizer,
Que eu com todas as minhas forças juro que te amo.

Autor; Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.
Data; 02/06/01.