terça-feira, 13 de setembro de 2011

Quero falar

Preciso falar agora neste momento
Uma só palavra vai expressar
Todos os meus pensamentos
Oculto nas maiorias das vezes
Mas quase sempre doloroso e sincero.

Quero e preciso falar
De todos os meus sentimentos
Com minhas próprias palavras
Guardadas no fundo deste peito.

Quero pôr para fora
Tudo o que há oculto
Neste meu coração
Protegido pôr essa gaiola
Que protege também meus pulmões.

Quero expor o que eu sinto na alma
Essa dor essa desilusão
Como a solidão das estrelas
Longinquamente distante
Umas das outras
Como se fora duas almas reprimidas
Abandonada na constelação
Deste meu céu chamado vida.

Sinto rolar agora das pupilas dos meus olhos
Sobre minha pálpebra as lagrimas
Que a lua derrama como véu
Pelo desencontro com o amado sol.

Sinto na Pele o orvalho da noite
Como se fosse às lágrimas das estrelas
Borbulhado em meu corpo suado
Como banho frio de cachoeira.

Sinto a felicidade de cada dia
Quando os primeiro raio solares
Surge no infinito horizonte
Quando o sol se faz majestoso no céu.

Sinto o amargo de cada letra
Que forma cada palavra
Que sai da minha boca agora
Apurando o meu paladar verbal.

Sinto o calor do sol
Queimando em meu intimo
Todos os meus sofrimentos
Bem como os meus desejos
Mesmo os mais profundos
Que existe aqui dentro
Deste meu sangrado peito.

Eu quero ser o verde mais escuro
Pra quando a noite chegar
Eu também escurecer-me
Confundindo-me com o seu breu.

Na esperança de ver
Todos os meus desejos
Realizado no dia seguinte
Com a luz do magnífico sol
Colorindo intensamente
Todos os meus objetivos
Que vão de encontro
Com todos os meus sonhos.

Isto eu queria falar
E eu agora falei.


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.
Data: 25/12/2003/.