sexta-feira, 30 de março de 2012

Deixei de ser

Eu fui
Deixei de ser
Minha inocência?
Essa se perdeu
Caio no chão
Como um cristal
No ventre dela
Ficou um pedaço
De mim? Não sei
Foi então de nós
Mas foi único
Durou tão pouco
Mas valeu apena
Porque foi feito
Com amor e loucura
E em cada reencontro
Fica o gostoso desejo
De sempre querer ser
Para novamente se perder
Eu loucamente me perdi
Não, nós nos amamos.

Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.