sábado, 25 de julho de 2015

Um amante retirante

Lá se vai sozinho,
Tropando as asas.
Como um passarinho.
Longe das amarras.

Perdido pelo caminho,
Sem nenhuma parada.
Pingos daquele sonho,
Em cada lágrima deixada.

Longe ele vai sumindo,
Ao romper da alvorada.
A linha vai traçando,
Da triste hora da partida.

Vai sumindo de mansinho,
Deixando chegar a noite.
Vem chegando devagarinho,
Acalentando o retirante.

Numa sede espontânea,
De vontade de amar.
Numa loucura simultânea,
Vai a se entregar.

No canto do sono,
Vai logo repousar.
Sem pensar em engano,
Segue pelo trilho a andar.


Autor: Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.