quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Minhas Noites

Quando o Sol começa a se esconder
Por detrás do vermelho horizonte
Toda falta que ele sente da magnífica lua
Ai começa me sofrer
A tarde já vai se apagando
Tornando vivas as estrelas
Assim como as minhas lagrimas na face
Denotando essa louca falta que você me faz
Eu vou tentando a minha angustia dobrar
Fecho meus olhos
E te descubro no vaco
Dos meus singelos pensamentos
Que nas minhas noites se escondem
Como fora um grande segredo da alma
Enrolo-me no frio lençol sobre a cama
Sufocando aqui dentro de mim
Os meus desejos com o aquecer
Dos brilhos da branca lua
Que entra pela brecha da cortina
Que tenta barrar na minha janela
As minhas raivas as minhas dores
Por não te-la aqui nas minhas noites.

Joabe Tavares de Souza.
JOABE O POETA.