segunda-feira, 29 de abril de 2013

Eu amo



Eu amo as rosas com suas doces cores,
Deliro quando penetram pelas minhas narinas os seus perfumes.
Amo também quando sinto na pele a suavidade das suas pétalas,
Sinto-me livre nas suas delicadas curvas.

Mas, eu muito sofro quando em mim assim dói,
O penetrar no meu coração as pontas dos seus espinhos.
Não suporto sentir o queimar na minha face às lágrimas,
Que desaba pela dor provocada pela a sua rigidez.

Eu amo o vento, por soprar as folhas verdes dos meus anos,
Mesmo com a intenção de me mostrar que tudo logo passa.
Amo também o sol, pois ele aquece as minhas esperanças,
De nunca desistir de tornar vivos e reais todos os meus sonhos.

Mas, o que me amedronta é a inconstância das duvidas,
Dos sustos das minhas buscas incessantes por respostas.
Ainda no meu caminhar eu me surpreendo sempre,
Com tudo que escrevo me faz sentir feliz na rosa do tempo.

Eu amo a chuva quando ela cai serena e calma,
Lavando da minha alma as impurezas das incertezas.
Também amo a calmaria das folhas quando a chuva passa,
Denotando vividamente todas as verdes esperanças.

Amo amar a vida quando ela na forma de um carrossel,
Apresenta-se a mim exibindo as combinações das cores das pétalas.
Amo também o sorriso da felicidade em cada botão se abrindo,
Dando vida ao amanhecer enchendo de sonhos os nossos dias.

Autor: Joabe Tavares de Souza - Joabe o Poeta.