segunda-feira, 21 de março de 2011

“Pagando mico ao coração”

Mais uma vez no meio de tanta solidão
Me pego a pensar não só em mim,
Mas, no que pede o meu coração.

Na realidade ele pede pouco,
Mas para você parece muito.
Pede algo que não posso ter,
Está fora do meu alcance,
Mas, ele insiste em pedir,
Pede somente o seu amor.

Assim como a minha boca pede a sua,
Os meus olhos precisam
Desesperadamente do brilho dos seus.
Assim como o meu corpo pede o calor do seu,
Os meus braços procuram os laços dos teus braços
E o êxito do meu ser só será completo
Com o delírio do teu prazer.

Assim como o céu tem a lua
E as estrelas brilham num só instante,
O sol nasce por traz dos montes
Trazendo consigo o horizonte de uma vida.

Em resposta eu digo
Ao meu inquieto coração,
A minha alma depende
De uma deslumbrante alma
Que não me pertence.

Tenho dentro de mim
Um coração que pede,
Eu busco constantemente,
Mas não tenho obtido resultado algum.

Fora de mim me sinto inútil,
Acabo ficando com ele,
Mas sem ela e pagando
Um eterno mico ao coração.



Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.