sexta-feira, 15 de abril de 2011

Pena

Na minha alma um nome tatuei
Sob as linhas brancas da minha vida
Com a tinta da minha pena
Nos brilhos deste olhar de pequena
A minha alma busca leveza
Que no meu coração te chamei.

Me pego aqui te desenhando
Com a pena molhada de lagrimas
Dando-te forma nos arrepios
Deste meu suado corpo
Cravando seu beijo na minha boca.

Esta mesma boca que te grita
Este mesmo corpo que te sente
Este mesmo olhar que te busca
Esta mesma pena que te descreve.

Cadê o seu olhar que me guia
Por favor, me dê sentido
Cadê a minha menina morena
Por favor, preciso do seu sorriso
Cadê o calor da minha lua.

Preciso de você aqui
Por que você sumiu?
Penso em você aqui
Por que você não diz sim?

Estou aqui esperando o dia que a morte me leve
Esperando sentir em mim o calor dos seus lábios
Deixando sua marca de desejo na minha vida
Espero-te ainda que minhas pálpebras se fechem
Te dou a minha vida ainda que não sinta-me
Só assim toda a minha dor valerá apenas.


Joabe Tavares de Souza – Joabe o Poeta.